A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

2013 quase chegando!

Minha mensagem para o Ano Novo - que 2013 traga mudanças reais!

   

Cliquem na imagem para vê-la em tamanho grande.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Esfihas - refazendo uma receita!



Gostaria de comentar sobre receitas culinárias que estão espalhadas pela internet e sobre quantas delas contêm erros e equívocos. Já verifiquei que não dá para segui-las de olhos fechados, pois pode-se perder tempo e ingredientes. Não sei se tais erros são cometidos por má fé ou por falta de atenção. Por isso, testo-as antes de colocar aqui no blog, para evitar desapontamentos como o que tive quando fiz essas esfihas, aqui.

A massa ficou muito salgada (juntando-se ao salgado do recheio, ficou impossível de comê-las e nem pincelei com shoyu), além do tempo de forno ser muito maior do que o indicado. Parece pouco que duas indicações erradas possam estragar uma receita, mas podem, até uma só delas, como no caso do excesso de sal... Na verdade, deveria ter percebido que uma colher de sobremesa para a quantidade de farinha solicitada, era demais. Mas fiz a receita confiando no texto, sem analisar.

Enfim, refiz e trago para vocês!

Ingredientes

1 tablete de fermento para pão (ou um envelope de 10 g)
300 ml de água morna
100 ml de óleo vegetal
uma colher de sobremesa de açúcar
uma colher de chá de sal
250 gm de farinha de trigo integral
250 gm de farinha de trigo branca
recheio a gosto (fiz o seguinte recheio: refoguei cebola picada bem miúda, juntei ervilhas, cenoura em cubinhos, milho, cebolinha, tofu em lascas e shoyu)

Como fazer

Em uma tigela grande, desmanche o fermento em tablete no açúcar e no sal (ou simplesmente misture, se usar o envelope).

Adicione o óleo, metade da água e vá juntando a farinha de trigo aos poucos (adicione mais água e mais farinha, até completar o total de ambas).

Mexa, primeiro com uma colher de pau. Quando a massa estiver encorpando, coloque em superfície enfarinhada e comece a sovar. Separe pedaços da massa em bolinhas (aproximadamente 20 delas). Não rasgue a massa, corte com uma faca.

Abra cada bolinha, coloque o recheio e feche, fazendo pequenos "envelopes", cuidando para que fiquem bem fechados.

Deixe as esfihas descansarem por 20 minutos, já na assadeira que não precisa ser untada.

Leve para assar em forno preaquecido por 45 minutos (pincele com azeite de oliva). Inicie com 180º, deixe 10 minutos e baixe para 160º. Quando faltarem 10 minutos para finalizar, coloque novamente em 180º. Isso faz com que a massa fique bem cozida no interior e dourada por fora.




segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Berinjela - vale com g e com j!

Oba, está chovendo na nossa horta!

Agora é a vez do Benjamin, filho da Roberta Rezende Santos. Com 14 meses, na imagem ele está experimentando berinjela.

    

A mamãe conta que "ele se apaixonou por esse vegetal desde o primeiro dia! E muito se engana quem acha que por ser bebê come o que a mãe dá, não funciona assim, não. Primeiro porque eu sou contra disfarçar ou esconder a comida, a introdução de alimentos foi feita aos pedaços e sem temperos (baseada em Baby Led Weaning), ele pegava e podia sentir a textura, o cheiro, e comia. Desde o primeiro dia ele demonstrou seus gostos, algumas coisas ele não quis comer, xuxu, por exemplo. Outras ele até comeu, mas estão longe de ser preferência, como jiló. E tem as paixões: berinjela, brócolis, mandioquinha..."

Roberta, muito bom teres falado sobre o Baby-Led Weaning, andei me informando sobre esse método e tirando dúvidas, inclusive entrei para um grupo bem legal no facebook, o "Baby-Led Weaning: BLW". Os membros estão dispostos a esclarecer com paciência e boa vontade quem quiser saber mais a respeito - se estiver no FB, é uma boa opção.

Esse é um dos textos que me disponibilizaram:

"Como começar o BLW? - 9 dicas práticas

1) Coloque o seu bebê na posição vertical, de frente para a mesa, no seu colo ou em um cadeirão. Certifique-se que ele esteja em segurança, num assento estável (sem balançar ou com o apoio "em falso") e que o bebê possa usar as mãos e os braços livremente.

2) Ofereça o alimento ao bebê; em vez de dar a ele, coloque-o em sua frente ou deixe-o pegar em sua mão, para que a decisão seja dele.

3) Comece com os alimentos que são fáceis de pegar: palitos grossos e longos são melhores no início. Introduzir novas formas e texturas gradualmente, para que seu bebê possa aprender como lidar com elas. 

4) Sempre que puder, inclua seu bebê em suas refeições.Quando possível, desde que seja adequado, ofereça ao bebê a mesma comida que você está comendo, para que ele possa copiar você.

5) Escolha momentos em que o bebê não esteja cansado ou com fome, para que ele possa se concentrar. Nesse estágio, as refeições são para brincar e aprender - ele ainda estará recebendo todos os nutrientes do leite materno ou leite artificial.

6) Continue oferecendo o leite materno ou fórmula como antes - esta ainda é a principal fonte de nutrientes do bebê, até o primeiro ano de vida. Quando o bebê precisar mamar menos, ele vai reduzir por si mesmo. 

7) Disponibilize água para o bebê durante as refeições, para que ele beba caso necessite.

8) Não apresse ou distraia o bebê enquanto ele estiver lidando com o alimento. Permita que ele se concentre e use o tempo que precisar.

9) Não coloque comida na boca do bebê e não tente convencê-lo ou forçá-lo a comer mais do que ele quer.

OBS: Discuta a introdução de sólidos com o profissional de saúde que acompannha o seu bebê se há história familiar de alergias ou intolerâncias alimentares, problemas digestivos ou quaisquer outras questões sobre a saúde ou desenvolvimento do bebê.

Gill Rapley - autora do livro Baby-led Weaning: Helping Your Baby to Love Good Food"

Atenção, a berijela é um fruto! Popularmente, os frutos doces são chamados de frutas e o resto vira legume. Por isso, a berinjela é considerada pelos consumidores, um legume...
"Rica em proteínas, vitaminas (A, B1, B2, B5, C), minerais (cálcio, fósforo, ferro, potássio, magnésio) e alcalóides, que atuam diminuindo a pressão sanguínea e prevenindo a arterosclerose." (Wikipédia)

    

Para os adultos saborearem: Caponata


Milho: bom é o da roça!

"É um dos alimentos mais nutritivos que existem, contendo quase todos os aminoácidos conhecidos, sendo exceções a lisina e o triptofano. Além das fibras, o grão de milho é constituído de carboidratos, proteínas e vitaminas do complexo B." (Wikipédia)
Tenho certeza que o pequeno Daniel, filho da Ingrid Prouvot, ainda não sabe disso, mas o fato de ignorar essa informação não impede que ele coma a sua espiga de milho com muita vontade e prazer! :)

   

Palavras da mamãe: "Nessas fotos ele tinha pouco mais de 1 ano, e hoje já tem 2 anos e meio, mas continua adorando milho! Aqui em casa nossa alimentação é numa linha meio macrô, mas não somos radicais. No dia a dia ele come sempre arroz integral, raízes, verduras, leguminosas e frutas, mas claro que tem as preferidas dele como beterraba, abóbora japonesa, brócolis, manga e tantas outras. Às vezes, deixo que ele coma uns biscoitinhos ou iogurte natural, pão com geleia, mas tudo é feito por mim, aqui em casa."

Parabéns pelas escolhas saudáveis, beijos para ambos!

Nota: É preciso ter cuidado, atualmente, com a compra do milho (a espiga e os subprodutos, como a farinha), pois a Monsanto já estendeu suas garras transgênicas para ele. Por isso, procurem nas feiras de orgânicos, lá está o verdadeiro milho da roça!

Vejam que lindas variedades de milho, são peruanas e mexicanas. Fiquei sabendo que aqui no RS, em Maquiné, também estão plantando esses milhos coloridos e exóticos.

 

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

BB e a cenoura

Como ninguém está enviando fotos das crianças comendo vegetais, posto essa imagem que achei bem natureba: a ex-atriz, cantora e modelo francesa, Brigitte Bardot, hoje uma ferrenha defensora dos animais, mordendo uma cenoura na cozinha.

 

A foto é do livro As Divas na Cozinha: Histórias e Receitas das Estrelas da Música e do Cinema/Evânio Alves.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Espuma de frutas




Está muito calor e bateu aquela vontade de comer algo doce e refrescante?
Criei essa espuma, facílima de fazer e que só utiliza o açúcar das frutas.

Para 2 pessoas, utilizar:

uma manga bem madura
duas bananas caturra também maduras
3 laranjas pera médias
meia xícara de chá (das pequenas) de leite de coco
A espuma fica mais refrescante se todos os ingredientes estiverem gelados.

Esprema as laranjas para obter o suco.
Pique a manga e as bananas.
Coloque as frutas no liquidificador e quando estiverem bem desmanchadas, adicione o suco das laranjas e o leite de coco.

Pronto! Fácil de fazer, saudável e gostoso!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Criança tem que comer "comida de verdade"

Vejam que ideia genial para motivar as crianças a comerem alimentos naturais!
Um box com divisões (pode ser uma forma para fazer gelo), com muitas e coloridas opções - torna o ato de comer uma atividade prazerosa.


Toma, um tomate!

Flora, filhota da Luciana Castanho, tem 2 anos e 3 meses e adora comer "pomate"!
Olhem a carinha alegre dela, se lambuzando com a polpa madura do tomatinho cereja e observem o detalhe das sementinhas, que ela colocou na calça... rs

 

O tomate é o fruto do tomateiro; embora coloquialmente considerado legume, é, na verdade, um fruto. De sua família, fazem também parte as berinjelas, as pimentas e os pimentões, além de algumas espécies não comestíveis. Ele é rico em licopeno (uma substância carotenóide, um antioxidante que dá a cor avermelhada ao tomate, melancia, goiaba, entre outros alimentos) e contém vitamina C.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Epidemia de obesidade infantil



MUITO ALÉM DO PESO - O documentário de 84 minutos estreou em várias salas de cinema no país, informem-se sobre os locais em sua cidade.

“Tem criança que nunca viu uma batata, só conhece a frita. Alguma coisa está muito errada quando um menino de oito anos olha para um chuchu e diz ‘coco?’. E uma menina da mesma idade, com um pimentão nas mãos, diz ‘abacate?’, observa a diretora." 

Aproveitando a oportunidade para divulgar as imagens das crianças comendo vegetais e frutas no Cozinha Natureba: Crianças comendo vegetais com prazer

Se a sua criança também gosta de comê-los com entusiasmo, envie a foto ou vídeo dela mostrando esse hábito saudável para postagem no blog, através do e-mail kazuver@hotmail.com

Precisamos mudar esse quadro imediatamente, nossas crianças dependem de nós para terem saúde!

Fonte da imagem: ZH/26/11/12

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Abacaxi no palito



Dia de sol, passeio no Parque da Redenção (em Porto Alegre/RS) muito calor e a sede incomodando... então, a Renata Ilha e o Dioniso, mãe e filho, descobriram essa gostosura, o abacaxi no palito, fresquinho e direto do produtor.

Olhem a cara de satisfação do guri, saboreando o abacaxi (rimou...)!
Essa fruta, além de refrescar, tem muita vitamina C.

Cenoura, super fonte de beta caroteno



Essa garotinha que gosta de cenouras é a Adriane Garcia, neta da Nanci Razera. Elas colheram juntas as raízes, na horta da vovó, que fica na Bolívia (Montero/Santa Cruz).

Não lembra uma linda e feliz coelhinha? :) 

Estou aguardando mais imagens da gurizada natureba deliciando-se com vegetais, frutas, enfim, alimentos naturais. Mandem pro meu e-mail: kazuver@hotmail.com Terei o maior prazer em compartilhar e divulgar essas imagens tão belas e significativas.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Comendo cacau

Ana Catarina, agora comendo cacau (in natura, não é barra de chocolate, não... rs).
Com o cabelinho à la Jean Seberg, Ana parece bem entusiasmada com o fruto.

 
    Cortesia da "mamãe babona", Alessandra Caprara.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Eu quero macarrão!


Macarrão com seitan 

Ô coisa gostosa um prato de macarrão!
Al dente e com molho de tomates é a versão clássica, mas podemos fazer uma variedade infinita de molhos para consumi-lo. No Dia Mundial do Macarrão, vale devorar um prato de macarronada - não tem homenagem mais saborosa do que essa!

Como esta versão, por exemplo:

Dia Mundial do Macarrão

Ou esta:

Molho de tomates e brócolis

O molho é a alma do macarrão:

Receitas de molhos

Mangia che te fa bene!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Melancia - 90% de água!



Ana Catarina tem 4 anos. Como conta sua mãe, Alessandra Caprara, ela ADORA melancia e laranja. Come até quase chegar na casca e também curte uva e jabuticaba. "Tenho percebido que ela gosta muito mais de frutas que de leite pela manhã, por exemplo. E também gosta de brócolis e milho!"

Ela conclui dizendo que "aqui somos onívoros, evitamos carne vermelha, mas não os proíbo de comer se têm à disposição."

A Ana Catarina nem disse nada, estava com a boca muito cheia de melancia... :)

Uma maçã por dia!

Maria Luisa, 5 anos, segundo sua mãe Carolina Javera, adora comer frutas fresquinhas, assim na mão mesmo, desde pequenininha! A família é onívora.

 



segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Gurizada natureba

Tenho visto tantas fotos lindas de crianças comendo verdes (legumes, folhas, frutas, raízes e outras maravilhas que a Mãe Natureza nos oferece) com as próprias mãozinhas, com um prazer enorme desenhado em suas carinhas, que resolvi criar essa tag com tais imagens (fotos e vídeos).

As primeiras adicionadas são de pessoas que conheço e convido a todos os leitores e simpatizantes do blog que desejarem também expor aqui seus bebês ou crianças deliciando-se com uma refeição verde, se possível executando o ato de comer sozinhas, mandem as imagens para o meu e-mail, junto com algumas informações básicas (nome, idade e se desejarem, mais detalhes, qual o verde que elas mais gostam de comer, por exemplo e se são vegetarianas, veganas ou onívoras).

Meu e-mail: kazuver@hotmail.com 

Vamos mostrar que crianças gostam, sim, de comer alimentos verdes e naturais, basta que as ajudemos a construir esse hábito em suas vidas!

Vídeo da Malu (3 anos), que é vegana e filha da Mariana Passaglia, comendo quiabo cru:

 Quem disse que criança não gosta de quiabo?

O Zezé (na ocasião da foto - dezembro de 2010 - ele tinha 2 anos e 9 meses) comendo pimenta biquinho in  natura na Feira dos Agricultores Ecologistas (FAE), em Porto Alegre/RS:

Zezé curtindo a pimenta

Essa é a Íris, neta do Eduardo Cezimbra, comendo brócolis bem faceira na companhia do avô. Segundo ele, a Íris tem 1 ano e 4 meses, come somente vegetais e leite materno e a alimentação é sem sal e sem açúcar!










Estou aguardando as fotos e os vídeos de vocês, vamos agitar! :)

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Biscoitos de polvilho



Polvilho é o amido da mandioca, falando curto e grosso (também conhecido como fécula de mandioca). Mas existem as nuances, porque da mandioca se produz uma variedade de ingredientes:

"Polvilho doce é a goma desidratada até virar um talco bem fino. Quando hidratado e aquecido, dá bastante liga, portanto, é bom também para fazer beijus e tapiocas. Com líquido e aquecido, forma um mingau cremoso e transparente, com bastante liga. Pode ser usado para fazer pãezinhos, bolos, brevidades". 

"Polvilho azedo, como já disse acima, a água com o sumo da mandioca é deixada com a goma sedimentada para fermentar por cerca de 10 dias ou mais. O polvilho tirado daí estará bem ácido e confere sabor ácido agradável aos preparos, além de permitir maior expansão: pães de queijo e biscoitos de polvilho crocante, por exemplo. O mingau feito com ele é mais escuro, transparente, cremoso e macio (tem proporção maior de amilopectina, responsável pela maciez e transparência, em relação à amilose, cujo teor diminui com a acidez)."

Leiam esse texto, integralmente, aqui.

Seguem 3 receitas com polvilho, sem usar ovos ou leite.

Biscoitos de polvilho

Ingredientes

1 k de polvilho azedo
250 ml de óleo vegetal ou azeite de oliva ( com o azeite, o sabor fica bem melhor)
30 g de sal
um litro de água

Como fazer

Coloque 750 ml de água e o óleo em uma panela e ferva.

Ponha em uma batedeira o polvilho, 250 ml de água fria e misture por um minuto. Acrescente a água e o óleo fervendo e bata na velocidade máxima.

Modele a massa em formato de anéis ou pingos e coloque em forma grande, bem separados porque eles incham.

Assar em forno bem quente preaquecido por 15 minutos.

Bolinhos de polvilho temperados

Ingredientes

1/2 xic polvilho azedo
1 1/2 xic polvilho doce
1 cc rasa de levedura em pó (caso não tenha a levedura, substitua por 4 batatas inglesas médias cozidas)
1 xic água fervida
1/4 xic de óleo vegetal (girassol) sal, orégano e temperos que mais gostar

Como fazer

Misturar o óleo na água fervida.

Misturar todos os ingredientes secos, e acrescentar a água com o óleo (vá acrescentando e mexendo para não encaroçar). Amassar bem até dar liga.

O ponto exato acontece quando a massa ficar um pouco amolecida e lisa e não desmanchar ao modelarmos as bolinhas. Depois de modelados, colocar os bolinhos em um uma forma untada com óleo.

Assar em forno médio preaquecido por mais ou menos 25 minutos. Rende 20 bolinhos médios

Biscoito campeão
Fonte: Elisa Biazzi

Ingredientes

500 g de polvilho azedo
3 xícaras de água fervendo
1 xícara de castanha-do-pará triturada
1 xícara de aveia (flocos pequenos)
1 colher (sopa) de erva-doce ou orégano
1 colher (sobremesa) rasa de sal

Preparo

Em uma tigela média coloque o polvilho, a castanha, a aveia, a erva-doce ou orégano e o sal.

Misture todos os ingredientes secos em seguida despeje a água fervendo bem devagar e mexa com uma colher grande até que toda a massa esteja molhada.

Vá mexendo até que a massa esteja bem homogênea e deixe descansar por uns 20 minutos.

Umedeça sua mão com um fio de óleo e faça “cobrinhas” da massa iguais ou um pouco mais finas que a espessura de uma caneta esferográfica.

Asse em forno médio até começar a dourar. Retire, deixe esfriar e sirva.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Fubá sem transgenia



Muita gente me perguntando onde encontrar farinha de milho (fubá) que não seja transgênica, já que agora, além da soja, esse cereal também caiu nas mãos da Monsanto. Aconselho visitar feiras ecológicas, que - ainda bem! - estão espalhando-se pelo país e ganhando cada vez mais frequentadores.

No último sábado, comprei dois saquinhos de 500 g - um da farinha de milho fina, que uso para fazer bolo e da média, para fazer polenta, pagando 2 reais por cada um. Só não levei pra casa a grossa, que gosto de usar no preparo de biscoitos. Para quem mora em Porto Alegre/RS, encontra-se na Feira dos Agricultores Ecologistas/FAE (Av. José Bonifácio/Parque da Redenção - sábados das 7 às 13 horas) e estava à venda na banca 30/32 (mas também vi em mais duas o mesmo produto).

Se pesquisarmos na internet sobre a terminologia dos produtos vindos do milho, observamos que os vocábulos fubá e farinha de milho são usados de diferentes formas, mas, em resumo, o mais correto seria assim:

O fubá é obtido a partir da moagem do grão de milho. O fubá propriamente dito tem espessura média (também chamamos de farinha de milho média).
O fubá mimoso é o mais fino (também chamamos de farinha de milho fina).
A sêmola ou semolina é uma farinha de milho mais grossa, indicada para a preparação de broas (também chamamos de farinha de milho grossa).
A farinha de milho é obtida através do processo de torração do grão de milho, previamente macerado, socado e peneirado, e se apresenta sob forma de flocos.
Amido de milho ou maisena é um hidrato de carbono, seco, em pó e sem sabor especial.
Farinha de beiju (ou biju) é um produto regional, obtido do milho pré-fermentado, seco e moído, do qual se tirou antes a pele e o germe (usamos o termo beiju para definir a iguaria, podendo ser feita também com a mandioca).

sábado, 6 de outubro de 2012

Quinoa - muita proteína vegetal!

A quinoa (ou quinua) é um pseudo cereal que contém muita proteína, ideal para fazer parte de dietas vegetarianas: Quinua (Chenopodium quinoa)

Quem já me conhece bem, sabe que sou fã de séries televisivas e umas das minhas preferidas é Bones, onde a Dra. Temperance "Bones" Brennan investiga casos de assassinatos analisando ossos (a personagem é inspirada na vida da médica legista Kathy Reichs). A doutora Bones é casada com o agente do FBI Seeley Joseph Booth e eles, apesar de terem personalidades muito distintas, buscam atenuar suas diferenças e chegar a um consenso.

Bones é vegetariana. Booth, não é.
Nesse interessante diálogo entre os dois, ele fica conhecendo a quinoa, sendo apresentada pela esposa. Amei o interesse dele e a disposição de aceitar uma novidade na sua alimentação!


 


Aqui vai uma receita de hamburguer de quinoa (Receitas GNT), para a Bones e o Booth e todos os leitores do blog:

Ingredientes

½ xícara de quinoa
½ cenora ralada
1 abobrinha verde ralada (só a casca)
½ xícara de brócolis
1 cebola picada
1 colher de amido de arroz ou milho
1 colher de óleo de coco

Modo de fazer

Cozinhe a quinoa em dois copos de água. Reserve. Doure bem a cebola no óleo de coco e coloque todos os legumes. Mexa deixando-os al dente.

Coloque a quinoa já cozida, acrescente o amido (se necessário, um pouco de água) mexendo sempre até criar liga. Espere esfriar e faça hambúrgueres do tamanho de um pires de xícara de café.

Grelhe em uma frigideira untada de óleo.Sirva com molho de tomate.

Foto ilustrativa: Getty Images

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Salve a Primavera!

Já é setembro mas aqui na região onde moro (Sul do Brasil/Porto Alegre/RS) o frio e a chuva ainda não nos abandonaram. Então, é primavera apenas pela data! Tivemos alguns dias ensolarados, as flores abriram suas pétalas, o colorido delas alegrou a cidade, mas não durou muito... Logo a chuva persistente e o vento forte (um ciclone extratropical) deixou novamente as árvores quase nuas.

Mesmo assim, trago aqui a minha versão primaveril de salada, onde usei:

3 tipos de alface (roxa, mimosa e crespa)
rabanete
agrião
brotos de alfafa e trigo sarraceno
alho poró
cenoura
cebolinha

 

Costumo temperar apenas com pouco sal e muito azeite de oliva, mas existe uma infinidade de molhos deliciosos que podem aumentar o sabor das saladas verdes, principalmente para quem não é muito fã delas.

Algumas sugestões;

Molho de Hortelã

1-2 maços de hortelã
200 ml de vinagre de vinho branco
5 CS de água
25 g de açúcar demerara
sal e pimenta

Destaque as folhas de hortelã até obter cerca de 50 g. Pique-as bem.
Coloque-as numa vasilha com o vinagre, a água e o açúcar demerara, uma pitada de sal e outra de pimenta-do-reino moída na hora. Misture bem e sirva.

Molho picante (também muito estimulante): 5 CS de shoyu, sumo de um pedaço de gengibre, 100 ml de vinagre de maçã, sal, 6 pimentas biquinho picadinhas e 2 galhinhos de alecrim. Misturar os ingredientes e deixá-los algumas horas trocando seus sabores e cheiros, antes de adicioná-lo à salada.

Também são gostosos os molhos mais encorpados, quando batemos no liquidificador algum vegetal cozido no vapor, como cenoura ou beterraba, adicionando um pouco da água da fervura, sal, azeite de oliva, cebolinha, salsa e, se desejar, um pedaço de tofu.

Aproveitem a clorofila, as vitaminas e os nutrientes de uma bela salada verde!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Quem disse que criança não gosta de quiabo?

A maioria das pessoas não gosta de comer quiabo ou jiló ou chuchu!
Preconceito, falta de informação ou tiveram uma primeira experiência traumatizante com o inocente vegetal... Para incentivar vocês, que não suportam um quiabinho muito menos a baba dele, segue o vídeo com a Malu (3 anos) comendo, com entusiasmo, um quiabo e cru!



Observem a ansiedade dela enquanto o adulto demora pra tirar o dito da embalagem - é comovente (rs).
A mãe da criança é minha amiga virtual e se embananou no áudio, chamando o quiabo de jiló, mas tudo bem, né, Mariana Passaglia? Parabéns pelo vegetarianismo apaixonado da tua filha. Tenho que citar também a corujice da tia Chris Brito, que foi quem postou o vídeo lá no Facebook e me encantou.

O quiabo é o fruto da Abelmoschus esculentus, uma planta da família da malva (Malvaceae). É uma hortaliça de clima quente e originária da África, tendo sido trazida para o Brasil pelos escravos.
Na verdade, é uma cápsula fibrosa cheia de sementes que é colhida antes de chegar à fase de maturação. Geralmente, a hortaliça é verde, seca e apresenta um líquido viscoso em seu interior.

O fruto possui uma quantidade significativa de vitamina C, entretanto, a mesma se perde durante o cozimento (viu, Malu, tu estás certa em comer o quiabo cru, cheio de vitamina C!)
Mesmo assim, o quiabo é altamente nutritivo, rico em vitamina A, importante para o bom estado da visão; vitaminas do complexo B, fundamentais para o processo de crescimento, além de cálcio, ferro, fósforo e cobre, importantes para a formação dos ossos, dentes e sangue.

Na hora da compra, é aconselhável optar por frutos firmes, sem manchas e com comprimento menor que 12 cm. Além disso, deve-se consumir o fruto rapidamente, pois o mesmo pode ficar murcho e escurecer em seguida. Uma solução para evitar a goma viscosa do quiabo, pouco apreciada, é pingar algumas gotas de limão enquanto o estiver cozinhando.



terça-feira, 25 de setembro de 2012

Águas saborizadas/aromatizadas

Elas são lindas, saborosas, refrescantes e estão na moda! Uma ótima opção para substituir os refrigerantes, menos calórica do que os sucos e atraente para aqueles que acham que a água é uma bebida insípida.

A água com sabor é bastante comum na Europa e nos Estados Unidos. Aqui, está chegando e sendo oferecida nos restaurantes. Facílima de fazer em casa, seguem algumas receitas, sugeridas pela coordenadora de Gastronomia do Centro Universitário Senac, Mariana Ávila Maronnam.


Fotos e dicas: Revista Época

Dicas:

 - Alecrim e lavanda têm sabor intenso. Use só um galhinho para não ficar com o sabor muito acentuado. Manjericão é mais suave.

 - Cítrico: cortar as frutas cítricas em rodelas. Você pode aproveitar a casca da fruta para decorar o copo ou a jarra. - Não há necessidade de adoçar porque a fruta dará o sabor.

 - O ideal é consumir no mesmo dia, pois as frutas podem fermentar e alterar o gosto da água. Se não tomar na hora, conservar na geladeira, pois o açúcar das frutas facilita a fermentação à temperatura ambiente.

 - O ideal é que a água seja preparada numa jarra e colocada na geladeira para manter a temperatura. Quanto mais fresca, mais o gosto fresco da fruta permanecerá.

 - Para fazer a água saborizada com gás, o ideal é deixar água gaseificada na geladeira e só preparar a bebida na jarra minutos antes de servir. Assim, a água não perderá o gás e ficará mais refrescante.

Não esquecer de optar pelas ervas e frutas orgânicas, principalmente se utilizarem as cascas. Façam em jarras de vidro, transparentes para mostrar a beleza dessas águas!



Foto: Revista Menu

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Riscos comprovados... enfim!




"Pela primeira vez na história foi realizado um estudo completo e de longo prazo para avaliar o efeito que um transgênico e um agrotóxico podem provocar sobre a saúde pública. Os resultados são alarmantes. (...) O estudo, realizado pela equipe do professor Gilles-Eric Séralini, da Universidade de Caen, na França, foi publicado ontem (19/09) em uma das mais importantes revistas científicas internacionais de toxicologia alimentar, a Food and Chemical Toxicology. 
(...) Esse estudo coloca um fim à dúvida sobre os riscos que os alimentos transgênicos representam para a saúde da população e revela, de forma chocante, a frouxidão das agências sanitárias e de biossegurança em várias partes do mundo responsáveis pela avaliação e autorização desses produtos."

Boletim da campanha Por um Brasil ecológico, livre de transgênicos e agrotóxicos - O fim da dúvida

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Transgênicos não foram testados o suficiente



Confessam abertamente que os transgênicos não foram testados o suficiente e estamos ingerindo esse veneno, que está adoecendo as pobres cobaias...

"Alguns transgênicos já foram analisados durante três anos, mas nunca até agora com uma análise em tal profundidade, segundo o cientista.

Também é a primeira vez, segundo Seralini, que o pesticida Roundup foi analisado em longo prazo. Até agora, somente seu princípio ativo (sem seus coadjuvantes) havia sido analisado durante mais de seis meses."


Leia aqui: Transgênicos aumentam em até três vezes ocorrência de câncer em ratos; em estudo, animais foram alimentados com milho geneticamente modificado. Cientistas afirmam que resultados de pesquisa são alarmantes.

Occupy Monsanto - Protesto Mundial contra os Transgênicos

O que rolou pelo mundo no dia 17/09/12, no protesto Occupy Monsanto - International Action Against Genetic Biohazars - veja aqui:

Occupy Monsanto





As foto são da manifestação nos EUA... e nós, brasileiros, o que sabemos sobre transgênicos e o que estamos fazendo a respeito do avanço deles no nosso cotidiano?

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Brasil: primeiro lugar no consumo mundial de agrotóxicos



"Vanguarda do Retrocesso: PL muda lei dos Agrotóxicos

setembro 12, 2012 - Porto Alegre/RS

Foi o que aconteceu no dia de ontem, quando a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Assembleia Legislativa, aquela que deveria avaliar os aspectos constitucional, legal e jurídico das proposições, votou favorável pelo PL 78/2012 que muda parte da redação da lei vanguarda no estado do RS, a Lei dos Agrotóxicos.
Lei essa que serviu de base para a legislação federal e que em 2012 completa 30 anos!
Para piorar, ainda há outro Projeto de Lei, o PL 20 /2012 de autoria do Deputado Gilmar Sossella + 32 Dep(s) que “dispõe sobre a comercialização e o armazenamento de agroquímicos, seus componentes e afins e dá outras providências”, esse sim de uma explícita jogada da bancada ruralista/agronegócio da AL, a fim de beneficiar as empresas poluidoras que não cumprem a lei e que agora jogam na AL para mudar a lei ao seu interesse, deixando a saúde e meio ambiente relegados.

Outra questão interessante é que na votação de ontem, apenas o PT votou contra o PL. Estranhamente (ou não) o representante do PC do B, partido que está a frente da secretaria estadual de meio ambiente do RS, poderia ter pedido vistas ao processo, protelando sua decisão, mas não o fez. A votação ainda não está disponível e quando estiver publicaremos.

Enfim, mais dois PLs para nos mobilizarmos. Enquanto isso hoje, ironicamente, a AL receberá o Encontro Gaúcho sobre agrotóxicos, Receituário Agronômico e Alimento Seguro, onde serão abordados os aspectos legais do uso de agrotóxicos , da produção à certificação dos produtos, responsabilidade profissional, monitoramento de resíduos com base em modelos internacionais, entre outras questões.

Abaixo reproduzimos texto do assessor parlamentar, Demilson Fortes."

Centro de Estudos Ambientais

RETROCESSO AMBIENTAL NO RS

por Demilson Fortes

Riscos à saúde e ao meio ambiente no RS

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Assembleia Legislativa do RS, aprovou hoje o Projeto de Lei nº 78/2012, de autoria do Deputado Ronaldo Santini, que altera a Lei Estadual nº 7.747/82, flexibilizando a legislação dos agrotóxicos no RS.

O RS tem Lei mais rigorosa em relação à Lei Federal, porque exige comprovação de autorização de uso no país de origem, mas este PL retira esta exigência, diminuindo o rigor.

Após a CCJ deverá tramitar em outras comissões temáticas, como Comissão de Saúde e Meio Ambiente, e da Agricultura, Pecuária e Cooperativismo, mas pode ter surpresas, como foi o caso do PL das queimadas que só passou pela CCJ. Hoje, os deputados do PT votaram contra, mas os outros parlamentares aprovaram.

A sociedade precisa saber que se aprovado o PL 78 poderá trazer consequências danosas ao meio ambiente e a saúde da população. Portanto, a mobilização social pode fazer a diferença. Não se pode permitir retrocessos justamente num contexto em que o mundo discute formas de melhorar a sustentabilidade ecológica.

Nos orgulhamos do pioneirismo do RS, que em 1982 aprovou a Lei 7.747/82 se antecipando a legislação federal, e sendo mais restritiva, ou seja, mais protetiva. Lamentavelmente, através de várias iniciativas de parlamentares gaúchos, o Rio Grande do Sul que já foi o mais avançado na proteção ambiental, está retrocedendo.

Por fim, vale a pena lembrar que o Brasil superou os Estados Unidos e assumiu o primeiro lugar no consumo mundial de agrotóxicos. Infelizmente. Tinha tantas outras áreas que gostaríamos de assumir a liderança mundial, mas foi logo no consumo de agrotóxicos. Esses produtos vão à mesa das pessoas, todos os dias.

Fonte: Retrocesso ambiental no RS

Agrotóxico é veneno e mata!



domingo, 16 de setembro de 2012

As alfaces

Muita gente torce o nariz pra consumir alface, por achá-la "sem graça" e os vegetarianos são acusados de monotonia na dieta, por serem "comedores de alface"... Quanto preconceito!

A alface é uma verdura rica em vitaminas A, C, E e K, além de possuir importantes minerais, como zinco, magnésio, potássio e ferro (os dois últimos, em maior quantidade na variedade lisa). Também contém muita água, o que ajuda a hidratar o corpo. Especialmente a de cor roxa ou verde intenso fornece pró-vitamina A ou betacaroteno, que fortalece o sistema imunológico. Ela também é conhecida como calmante e por auxiliar quem está com dificuldade para dormir. Isto ocorre porque seu talo tem uma substância chamada lactucina, que tem propriedades analgésicas e sedativas.

Crespa, lisa, verde, roxa? Escolha a sua variedade preferida!



Lisa - a mais popular de todas, tem folhas macias, grandes, com sabor suave e adocicado.
Romana - é a mais crocante, muito apreciada para saladas e sanduíches, com folhas tenras e suculentas.
de Pomo - uma variedade da romana, com sabor adocidado, de cor verde clara e pequenas manchas roxas.
Roxa de folhas soltas - não tem miolo, as folhas são soltas e de tonalidade verde e bronze.
Mimosa Vermelha - com folhas soltas e estreitas e sabor adocicado.
Americana - por ter folhas grandes é ideal para ser recheada.
Little Gem - variedade da alface romana, é carnuda.
Lollo Rosso - de cor roxa e folhas crespas, perfeita para saladas.
Crespa - uma das mais conhecidas, tem as folhas recortadas, por isso o nome.

Ontem era dia de promoção das alfaces na Feira dos Agricultores Ecologistas, que
realiza-se há 22 anos na primeira quadra da avenida José Bonifácio, em Porto Alegre, aos sábados das 7h às 13h. Fui lá conferir, como faço todos os sábados (a não ser quando chove muito).





Também estava lá a ONG Bororó25, demonstrando o processo de higienização das verduras e convidando a todos para construírem a Árvore da Consciência utilizando papel reciclado em forma de folhas para responder a pergunta: “Quais as sementes de consciência que você deseja plantar?” Escolhi a folha da Reflexão.



Olhem que alfaces lindas comprei!





quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Mjadra: lentilhas, arroz e o dourado das cebolas



A lentilha é uma leguminosa que contém bastante ferro e é fonte de proteína. Muitos não gostam dos outros feijões, então ela surge como maravilhosa opção e não deveria ser consumida apenas na ceia de Ano Novo, para trazer fartura, segundo a tradição.
Mais rápida no cozimento, de maior digestibilidade e carregando muitos talentos - entre eles auxiliar no controle do diabetes e reduzir gorduras no organismo - ela possui 3 variedades de cor: vermelha, verde e marrom, sendo essa última a que mais conhecemos e consumimos, aqui no Brasil.

Segundo a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO (em 100 gramas do alimento):



Percebemos que a lentilha crua contém mais nutrientes, que são perdidos no cozimento. Podemos germinar seus grãos, colocando 8 horas na água. enxaguando bem e 8 horas no ar, enxaguando, de novo e aguardando que o "rabinho" da semente apareça. Utilizamos, então, em saladas, sanduíches etc.




Depois da sopa picante da postagem anterior, agora é a vez do Mjadra, prato árabe cuja base é constituída por lentilha e arroz. Fácil de fazer e gostoso de comer!

Ingredientes

uma xícara de arroz integral agulha
uma xícara de lentilhas
uma cebola média bem picada
duas cebolas grandes cortada em rodelas finas
3 CS de farinha de trigo integral
azeite de oliva e sal marinho a gosto
pimenta síria (pimenta do reino, pimenta da jamaica, canela, cravo e noz moscada, moídos juntos)

Como fazer

Deixar a lentilha de molho por, no mínimo 8 horas, desprezar a água e enxaguar bem os grãos. Deixar o arroz de molho por uma hora, igualmente desprezar essa água e enxaguar bastante. Reserve ambos, separadamente.

Refogue a cebola picada no azeite e adicione a lentilha, misture bem, depois despeje água quente (mais dois dedos) sobre ela. Cozinhe em fogo médio.

Quando estiver quase cozida, adicione o arroz e coloque mais água fervente, cobrindo os grãos e mais dois dedos, novamente. Cozinhe em fogo baixo, com a tampa da panela entreaberta. Se necessário, ponha mais água durante o cozimento.

Quando os grãos estiverem cozidos, desligue o fogo e mantenha a panela bem fechada, enquanto prepara a cebola dourada.

Já cortada em rodelas finas, passe-as na farinha de trigo, sacudindo bem para que saia o excesso. Coloque pouco azeite em uma frigideira, deixe aquecer e refogue as cebolas aos poucos, deixando-as dourar. Não use óleo demais e mantenha a frigideira bem aquecida. Adicione sal e uma generosa pitada de pimenta síria (eu coloco duas, gosto do sabor das especiarias bem acentuado). Se quiser, pode também colocá-las num refratário e usar o forno para dourá-las.

Sirva o arroz com as lentilhas e sobre eles, as cebolas douradas e cheirosas!




terça-feira, 14 de agosto de 2012

Sopa de lentilhas à indiana

Essa receita é muito estimulante e aquece o corpo e a alma.
Perfeita para uma noite fria ou para quando estiverem tristes ou deprimidos... fica paradisíaca, se consumida com um vinho branco.



Ingredientes

um litro de água
250 g de lentilhas, deixadas previamente de molho
2 tomares maduros grandes, picados
duas pimentas malaguetas verdes, picadas
10 g de gengibre fresco, picado
1/4 ccf de cúrcuma
3 dentes de alho
sal marinho a gosto
uma CS de coentro picado
8 folhas de louro
uma CS de azeite de oliva

Como fazer

Leve uma panela ao fogo médio com a água e, quando ferver, acrescente as lentilhas, os tomates, as pimentas, o gengibre, a cúrcuma e 1 1/2 dente de alho. Acerte o sal e cozinhe em fogo baixo por 30 minutos.

Retire a panela do fogo e bata as lentilhas no liquidificador, até obter a textura de um purê.

Volte a mistura novamente para a panela, junte o coentro e o louro e cozinhe em fogo baixo por mais 5 minutos.

Pique o alho restante e, em frigideira, refogue-o no azeite.

Adicione-o à sopa e cozinhe por mais 5 minutos.

Sirva bem quente (acompanhe com o vinho branco, se gostar).

Rende 4 porções.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Comida de inverno 2



Sopa de ervilhas com pedaços de abóbora okaido, cenoura e inhame, temperada com louro e gengibre, alho poró picadinho e cru na finalização, além de muito azeite de oliva..
Aquecendo e confortando!

Deixar as ervilhas de molho na véspera, enxaguar bem e cozinhá-las, com folhas de louro, uma cebola média inteira e um pedaço de gengibre, até que fiquem al dente.
Nesse momento, adicionar a abóbora, o inhame e a cenoura, picados.
Juntar azeite de oliva e salgar, cozinhando até que as ervilhas desmanchem.
Servir alho poró em fatias e azeite de oliva a gosto sobre a sopa, já colocada no prato.
Se desejar, adicione também uma colherinha de missô orgânico e produzido com soja não-transgênica, é medicinal, limpa e tonifica os pulmões, tão exigidos e agredidos nessa época do ano.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Comida de inverno 1



Arroz integral, feijão vermelho, farofa de pinhão com rama da cenoura, cebola e cebolinha verde, saladinha de rabanete, alho poró, sumo de gengibre, azeite de oliva e alface.

A rama da cenoura e a cebolinha são colocadas na farofa só na finalização, não perdem nutrientes. Refogar meia cebola bem picadinha em azeite de oliva e adicionar o pinhão previamente cozido e cortado em fatias, juntar a farinha de mandioca e salgar. Deixar tostando em fogo baixo, quando estiver no ponto, com uma cor dourada, juntar a rama da cenoura e a cebolinha verde picadas. Misturar alguns segundo e pronto!

O alho poró, a cebola, a cebolinha verde e o gengibre favorecem a circulação de energia. O rabanete e a rama da cenoura reforçam o yang e ajudam a retirar a umidade do organismo (poderíamos usar também o nabo). Os demais acrescentam a proteína, o carboidrato, a gordura e mais clorofila.
Pouco sal, invista no cravo, canela, noz moscada, orégano, cardamomo e pimenta jamaicana pra temperar.

Mas se o inverno for seco, segundo a medicina tradicional chinesa, esse ar seco e sem umidade faz sofrer os Pulmões e o Intestino Grosso, então recomenda alimentos de sabor azedo e água: morango, kiwi, carambola, gergelim preto, maçãs, limão, manga, laranja, tomate, uva, damasco seco, caqui, abacaxi, azeitona, goiaba, ervilha, tangerina, açafrão, acelga, ameixas.

"Embora os vegetais crus sejam sempre recomendados, a medicina tradicional chinesa sustenta que seu consumo deve ser moderado no inverno porque muitos são de natureza energética fria. São recomendadas, então, as raízes e os tubérculos cozidos (cenouras, nabos, cebolas, batatas, alhos) e em geral purês, sopas e outros pratos mais consistentes. 
Mas não se deve esquecer de comer diariamente uma boa salada variada e frutas frescas da estação, principalmente as cítricas, por sua grande quantidade de vitamina C, de reconhecida eficácia para prevenir ou reduzir a intensidade dos resfriados.

Considera-se que a necessidade de calorias aumenta 5% a cada seis graus de queda da temperatura. Por isso convém consumir mais carboidrato de absorção lenta, como os que encontramos em legumes e pão, massa, arroz e cerais integrais em geral." (Jornal Bem Estar/Julho 2012)