A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Fubá sem transgenia



Muita gente me perguntando onde encontrar farinha de milho (fubá) que não seja transgênica, já que agora, além da soja, esse cereal também caiu nas mãos da Monsanto. Aconselho visitar feiras ecológicas, que - ainda bem! - estão espalhando-se pelo país e ganhando cada vez mais frequentadores.

No último sábado, comprei dois saquinhos de 500 g - um da farinha de milho fina, que uso para fazer bolo e da média, para fazer polenta, pagando 2 reais por cada um. Só não levei pra casa a grossa, que gosto de usar no preparo de biscoitos. Para quem mora em Porto Alegre/RS, encontra-se na Feira dos Agricultores Ecologistas/FAE (Av. José Bonifácio/Parque da Redenção - sábados das 7 às 13 horas) e estava à venda na banca 30/32 (mas também vi em mais duas o mesmo produto).

Se pesquisarmos na internet sobre a terminologia dos produtos vindos do milho, observamos que os vocábulos fubá e farinha de milho são usados de diferentes formas, mas, em resumo, o mais correto seria assim:

O fubá é obtido a partir da moagem do grão de milho. O fubá propriamente dito tem espessura média (também chamamos de farinha de milho média).
O fubá mimoso é o mais fino (também chamamos de farinha de milho fina).
A sêmola ou semolina é uma farinha de milho mais grossa, indicada para a preparação de broas (também chamamos de farinha de milho grossa).
A farinha de milho é obtida através do processo de torração do grão de milho, previamente macerado, socado e peneirado, e se apresenta sob forma de flocos.
Amido de milho ou maisena é um hidrato de carbono, seco, em pó e sem sabor especial.
Farinha de beiju (ou biju) é um produto regional, obtido do milho pré-fermentado, seco e moído, do qual se tirou antes a pele e o germe (usamos o termo beiju para definir a iguaria, podendo ser feita também com a mandioca).

8 comentários:

Lori Ellis disse...

Oi Vera!
Adorei o teu blog! Riquissimo em informacoes e com receitas maravilhosas! Ja sou tua seguidora! Sou vegana e adoro cozinhar. Ha pouco mais de dois meses criei um blog de receitas! Estou adorando esta coisa de compartilhar conhecimentos e informacoes!
Parabens pelo teu blog!
grande abraco

Vera Falcão disse...

Oi, Lori, fico feliz que tenhas gostado, obrigada pelas palavras gentis e volte sempre!

maisa disse...

Procurava informação sobre transgênicos e as suas foram muito utéis, agradeço e uma boa noite.

Anônimo disse...

Oi Vera ! Adorei a indicação da farinha de milho não transgênica. Minha família agradece. Bjos.

Vera Falcão disse...

Fico feliz, sigam alimentando-se com qualidade, grande abraço!

Vera Falcão disse...

maisa, bom saber que fui útil, espero continuar te passando boas informações, abraço!

Anônimo disse...

Será que o milho verde in-natura vendido em feiras normais, também são trangenicos? Procurava saber onde encontrar fubá não trangenico e aqui encontrei essa informação... obrigada...

Neide Pires

Vera Falcão disse...

Neide, a transgenia está espalhando-se e não há como controlar, o milho comprovadamente convencional e também sem agrotóxicos, só nas feiras de orgânicos (também o fubá e o amido).