A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Óleos - um pequeno guia


Os óleos devem preferencialmente ser usados crus, em saladas e pratos depois de prontos. Não devem ser aquecidos, pois, neste caso, há formação de substâncias tóxicas, como a acroleína.

São mais indicados os óleos prensados a frio e não-refinados que mantêm o sabor, cor e nutrientes.

Quais os melhores?
Oliva, coco, gergelim, linhaça, girassol, sementes de uva.

Cuidado! O calor e a luz podem alterar a propriedade dos óleos. Portanto, estes devem ser mantidos na geladeira, fechados e em recipientes opacos para evitar que fiquem rançosos, com gosto ruim e mau cheiro.


Mix de Óleos

Ingredientes

100 ml de azeite prensado a frio
50 ml de óleo de linhaça prensado a frio
Temperos secos a gosto (alecrim, manjericão, manjerona)

Como fazer

Misturar o azeite e o óleo de linhaça.
Adicionar os tempero secos.
Armazenar em recipiente de vidro opaco, bem fechado, na geladeira.

6 comentários:

Nane Cabral disse...

Olá Vera, adoro azeite de manjericão, fica ótimo! valeu pelas dicas. Bjinhos, Nane ww.vovoqueensinou.blogspot.com

Vânia Ma'iitsoh disse...

Aqui em Minas é muito comum aquecer o óleo e depois colocar o tempero, alho e sal, na panela, ao preparar um arroz ou feijão, por exemplo. Cheira a casa toda! rs. Mas, visto por esse ângulo, de que o óleo aquecido pode produzir susbstância tóxica, há de se rever alguns costumes...Há muito tempo troquei o óleo de soja pelo de girassol.

Karen disse...

Oi Vera!

Olha só, sou super fã da Sonia Hirsh, e gosto muito do livro "Mamãe eu quero", e neste livro ela cita alguns óleos e suas utilidades, e coloca o óleo de milho como sendo indicado para cozinhar, e o óleo de soja para fritar. Ou seja, são utilizados em temperaturas elevadas.
Vc acha realmente que estes óleos são prejudiciais se usados nestas condições?
Comprei o de milho especialmente para cozinhar, vc acha que é um erro?
Frituras não me preocupo pq nem faço...

Beijos e obrigada!

Vera Falcão disse...

Karen, sou fã desse livro, usei muito para aprender sobre alimentação infantil e tirei muitas dicas dali para cuidar da minha caçula... Dei uma relida no livro e ela diz num dos textos: "óleo de soja que é extraído à base de solventes caústicos" (p. 41) e, realmente, aconselha o de milho para cozinhar e o de soja para fritar (p. 97)... mas, atualmente, SH tem uma postura contrária ao uso da soja, a não ser na forma fermentada. Particularmente, não uso óleo de soja para nada, pois além de tudo hoje ele é feito com a soja transgênica, o que já está começando a acontecer com o milho, infelizmente. Tenho usado um mix de óleos de girassol e oliva (tem um post sobre ele - Óleo na cozinha - falando sobre o Olivíssimo) para cozinhar (refogar, em receitas de forno etc - também não gosto de frituras). E muito azeite de oliva cru, sou viciadona, adoro um pão italiano com tomate e alho picados e muuuuito azeite de oliva por cima! Óleo de coco também é excelente, além dos outros já citados no post.

Bjos

Karen disse...

Oi Vera! Obrigada por responder!

Na verdade eu ERA utilizadora assídua de derivados de soja (leite, lecitina, carne, etc), entretanto depois de ler no blog da SH sobre a soja, mudei radicalmente tudo isso, e agora só utilizo soja se for fermentada. Então o óleo tb está fora de questão.
Qto ao óleo de milho, eu o compro, assim como a gde parte dos alimentos que entram aqui em casa, num armazém de produtos biológicos que descobri por aqui. Tb já encontrei o óleo de coco, em forma sólida, e as vezes como no pão, mas para cozinhar nunca utilizei.
Os produtos deste armazém são de inteira confiança, então penso que não preciso me preocupar com o óleo de milho... o que vc acha?

Beijos e obrigada sempre pelo carinho e atenção!
Karen

Vera Falcão disse...

Karen, acho que temos que confiar em alguém, senão a vida fica difícil demais... é mais fácil confiar no pequeno produtor ou comerciante, com o qual convivemos e podemos ter maior acesso aos procedimentos deles; é praticamente impossível monitorar o desempenho de grandes indústrias e a produção delas está tão distante de nós... penso até que o caminho é este, comprar de pessoas que conhecemos mais a fundo, com quem temos até, às vezes, uma relação afetiva além da comercial.
O missô e o shoyu que compro são de uma famíla de japoneses que conheço pessoalmente e eles garantem que usam soja não-transgênica - eu acredito no que eles afirmam... SH diz que é legal tomar uma colherinha de óleo de coco em jejum.

Bjos