A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Testando o Caseirito

Ísis e eu decidimos testar o macarrãozinho da Mãe Terra, assim que o descobrimos numa loja de produtos naturais.
Como dito anteriormente, mesmo não sendo frito, feito com farinha de trigo integral e com tempero com menos sódio e sem GM, é uma opção para ser consumida ocasionalmente (até pelo preço, que é bem salgado...).
Escolhemos o Caseirito Funghi para o teste.





Esse é o conteúdo, que vem acondicionado numa bandejinha de plástico, com 70 g de massa e 7 g de tempero.

Colocamos dois copos de água para ferver (200 ml).
Após a fervura da água, a massa cozinhou nela por, exatamente, 5 minutos (que é o tempo indicado no rótulo) - ficou al dente.

Na hora de adicionar o molho, coloquei apenas meio pacotinho, porque não gosto de pratos com muito sal e excessivamente temperados - mesmo o tempero sendo "natural", a indústria alimentícia tem a tendência de exagerar na elaboração dos sabores e cheiros, até porque o paladar do consumidor já está condicionado a esses "exageros" (a meu ver, "estragado"...).
Ficou perfeito - usei a outra metade do tempero numa porção de massa comum que preparei para mim - logo, um pacotinho de tempero dá para preparar duas porções com muito sabor!




Ingredientes do macarrão:
farinha de trigo integral (66%)
farinha de trigo especial enriquecida com ferro e ácido fólico

Ingredientes do tempero (pó):
açúcar mascavo
sal moído
extrato de levedura
cogumelo em pó
alho em pó
aroma natural de cogumelo
cebola em pó
mandioquinha em pó
cogumelo em pedaços
cebolinha
antiumectante dióxido de silício

(pena que não tem um pouquinho de pó de pirilimpimpim... rsssss)

Duas sugestões à Mãe Terra que talvez possam baratear o produto:

Eliminar aquela bandejinha de plástico e colocar o produto apenas no saquinho - é mais plástico para ficar circulando no nosso ambiente, nem todo mundo coloca no lixo reciclável ou reaproveita - mas já achei uma utilidade para a minha, virou na hora um porta-treco:



Também pensei numa vasilha para colocar a comida ou a água da gatinha...

A outra sugestão seria diminuir a quantidade de tempero - a metade dá para temperar muito bem os 70 g de massinha. Seria menos sódio ainda no organismo do consumidor...

E voltando a dizer: estou divulgando aqui esse produto como uma opção ocasional, dá para fazer um molho maravilhoso de funghi, aliás, vou lá revirar meu baú de receitas e postar alguma aqui, mais tarde!

11 comentários:

alagadiça disse...

depois que vi teu tópico sobre os produtos da Mãe Terra, saí em busca do caseirito, pois sou meio fã das massinhas instantâneas, só que sem o tempero.
Mas realmente o preço é salgado!

Cada vez que venho ao teu blog, tenho mais saudade do sul, principalmente das lojas macrobióticas do mercado... Aqui em João Pessoa é difícil achar produtos naturais, grãos. E quando achamos, é bem mais caro que aí!

A vantagem daqui são as frutas típicas, sabor novo no cardápio, hehehe.

Vera Falcão disse...

Então, tudo tem um lado melhor pra não deixar o lado ruim tão evidente... hehehehehe
Onde vc morou aqui no Sul?

Vera Falcão disse...

Uma amiga lá do orkut (Janaína), postou um artigo do Natural News falando sobre os produtos que mantém os antigos ingredientes, atualmente condenados, mas com novas denominações, ou seja, maquiados...
um deles seria a levedura do tempero que, segundo o artigo, é semelhante ao GM.

Para ler: Many "natural" foods contain questionable taste additives like yeast extract
http://www.naturalnews.com/020426_food_foods_MSG.html

Mandei outro e-mail para a Mãe Terra...

Vera Falcão disse...

SEGUNDO O ARTIGO:

yeast extract = extrato de levedura = GM

Anônimo disse...

Oi Vera, estou testando aqui de novo. Realmente temos que ficar atentos aos rotulos dos produtos industrializados pq eles sao muito espertos!

Estou curiosa pra saber a resposta deles!

Vera Falcão disse...

Vamos aguardar, Janaína!
bjo

Renata disse...

Oi Vera, descobri na sexta passada que tenho intolerância a lactose e buscando por fontes de cálcio, acabei encontrando seu blog, o qual gostei muito e já adicionei como favorito no meu computador, peguei as receitas dos leites vegetais e espero fazer em breve. A respeito do macarrão Mãe Terra adorei a dica, pois sempre via no supermercado e tinha vontade de experimentar, mas o que vi aqui não vem na bandeja, vem apenas na embalagem de plástico normal e sem tempero. Depois te mando a foto, quando comprar.

Vera Falcão disse...

Oi, Renata, bem-vinda ao mundo sem consumo de leite animal! rsssss
espero que goste dos "leites vegetais", varie bastante pois há várias opções, com os resíduos dá para fazer "queijos" também.
Estou curiosa sobre essa opção de massa instantânea sem tempero - particularmente, gosto de fazer o molho das minhas massas...

abraço

Vera Falcão disse...

Renata, esqueci de perguntar: quanto custa o pacotinho de macarrão da Mãe Terra que vc viu?
Outra coisa: é instantâneo ou é do macarrão "normal" (que demora mais para cozinhar?)

Anônimo disse...

Você sabe informar o que contem nessa farinha especial enriquecida? É pq eu sou vegana e quero saber se contem algum traço de ovo... Agradeço se puder responder.

Vera Falcão disse...

Normalmente, quando informam isso é "enriquecida com ferro e ácido fólico" - e é o que divulgam no site da Mãe Terra também.
E aqui vai um link, de artigo escrito pelo George Guimarães, liberando essas farinhas fortificadas para vegetarianos e veganos:
http://www.nutriveg.com.br/farinhas-enriquecidas-com-ferro-e-aacutecido-foacutelico-e-a-dieta-vegetariana-esclarecendo-o-mito.html

Espero ter esclarecido a tua dúvida, anônimo!