A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Banana do mato - poderosa!


A cozinha natureba também é o lugar onde podemos manipular e produzir auxiliares no tratamento de desequilíbrios do nosso organismo, utilizando as plantas com as quais a Natureza nos presenteou - são coadjuvantes que nossas mãos podem elaborar seguindo receitas, a maioria delas transmitidas pela sabedoria popular e embasadas pela fitoterapia e outras técnicas naturais de cura e manutenção da saúde!

Maravilhoso saber que sempre poderemos aprender algo novo e benéfico... foi o que aconteceu comigo nesta semana, quando minha filha teve uma crise de asma e levei-a à nossa homeopata que, além de dar a medicação pertinente, também me indicou (a meu pedido) um xarope para aliviar a tosse e auxiliar na expectoração.

Já havia usado muitos xaropes de formulação caseira para tosse, que funcionaram (como o de cebola e o de abacaxi), mas esse, realmente, é poderoso!

A base é a banana do mato, que encontrei no Mercado Público da cidade onde moro (Porto Alegre/RS) e acredito que seja encontrada facilmente em mercados e feiras de todo o país.

A receita que fiz foi a seguinte:
8 bananas do mato, com a casca e sem as sementes, cortadas em 4
uma xícara de açúcar mascavo
uma xícara de água
3 colheres de sopa de guaco seco (se for in natura, 6 colheres)


Cozinhar os 3 primeiros itens até que a mistura fique na consistência de xarope (melado grosso). Adicionar o guaco e cozinhar por mais 15 minutos (fogo baixo). Pode ser necessário adicionar mais água. Coar, esmagando as bananas no coador para que o xarope fique bem consistente.

Minha filha tem 12 anos - a dose foi de 4 colheres de sobremesa ao dia.
Para crianças menores, uma colher de chá 4 x ao dia.
Adultos, usar a colher de sopa.

Alivia prontamente, expectora muito, principalmente aquela secreção que está bem interna (percebe-se pela consistência e pela cor escura).

Realmente, as plantas são um presente divino que temos ao alcance das nossas mãos, basta usar com sabedoria e conhecimento! Espero que essa receita ajude a muitos e se experimentarem com sucesso, passem adiante, espalhem a boa notícia!


Variação: experimente substituir uma colher do guaco por uma colher de poejo.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

É Primavera!



Segundo a filosofia chinesa, a primavera é o momento onde o yin (contração, frio) dá lugar ao yang (expansão, calor) .

Momento de expansão e crescimento, a energia ascendente faz com que a semente se mova ao céu fazendo o mundo ficar mais verde e florido.

Assim como a Natureza cria novas folhas e flores, nós também precisamos colocar para fora nosso lado criativo e reinventar a vida.

“Se você olha uma flor e se une com ela através desse sorriso, você se transforma na flor, não existe separação. Sem separação, sem conflito, sem disputa a sociedade fica em paz.”

Mestre Liu Pai Lin

Surge o elemento madeira do potencial energético da água, assim como as plantas florescem na terra nessa época. Este é o novo estágio Yang do ciclo das energias. A fase Madeira é expansiva, alegre e explosiva. É uma geração criadora de energia, despertando o desejo sexual de procriar. Está associado ao vigor, à juventude, ao crescimento e ao desenvolvimento.

A energia da Madeira pede livre expressão e espaço para dar vazão à sua expansão. Se bloquearmos o seu desenvolvimento, criamos sentimentos de frustração, raiva, ciúme e estagnação.

Medicina Chinesa

Também no Feng Shui, a Primavera relaciona-se com o elemento madeira que significa crescimento, expansão, desenvolvimento, novo ciclo, novas etapas!



A alimentação na Primavera

Começa o Vento. Dias ventosos e claros. Verdes brotando por todos os cantos. A natureza acorda e nós também. Sentimos brotar aquela energia gostosa, aquele ímpeto para mudar as coisas, que há muito tempo não sentíamos.
Época maravilhosa para iniciar uma dieta. O corpo, que estava retendo uma gordurinha para se aquecer, deixa sair. Deixa sair o excesso do inverno, deixa sair as emoções. Dá aquela vontade de namorar, de criar laços, de constituir família1 O Universo contribui: flores de todos os tipos, tamanhos e cores, enfeitando a vida. Os animais com seus filhotinhos, os passarinhos a cantar, alegres!
(...) O sabor que vem do do vento é o ácido do pólen (e o adstringente). Alimentos frescos, doces e de movimento neutro são bem-vindos.
Quentes e frios?
Só um pouquinho. Todos os cereais são bem-vindos em doses pequenas. Vegetais ligeiramente cozidos, menos coisas feitas no forno, doces e compotas naturais feitos de frutas frescas. Reduza os laticínios pesados: queijos e sorvetes.

Eis uma boa receita para a Primavera: modere os amargos e os azedos, sirva-se do doce com parcimônia e não exagere no sal.

Comer: Como? Quanto? O quê? - Rita Córdova



O fígado é o órgão e a vesícula biliar é a víscera, relacionados com a primavera, segundo a teoria dos cinco elementos da Medicina Chinesa. Segundo a Medicina Chinesa, o fígado regula o fluxo e a distribuição, é responsável pela regularidade das atividades corporais, move a energia e o sangue em todas as direções, enviando-os a todas as partes do corpo. O Livro Clássico Nei Jing, o livro de Medicina Interna do Imperador Amarelo, afirma que o fígado age como general de um exército, já que mantém a regularidade e harmonia do movimento por todo o corpo. Palavras como suavidade, sutileza, apaziguamento, tranquilidade descrevem o que o fígado deseja.

(...) Como na primavera tudo está florescendo, os brotos são abundantes, o verde fica mais intenso, devemos nos alimentar com brotos de alfafa, de trigo, de feijão, de verduras tenras e legumes verdes com uso de azeite de oliva extra-virgem. Devemos evitar gorduras animais e frituras, bem como o excesso de carnes vermelhas. Bebidas alcoólicas devem ser suspensas imediatamente, priorizando o consumo de sucos verdes, frutas com vegetais como couve, hortelã, aipo e broto de trigo. A primavera é o momento propício para desintoxicarmos o fígado dos excessos cometidos no inverno.

Primavera, momento de desintoxicar

Aproveitem, então, para livrar-se dos excessos cometidos no inverno (muitas calorias sobrando na cintura), busquem uma alimentação desintoxicante (suco verde diariamente é uma ótima opção), longas caminhadas e curtam o calor do sol e a Natureza que resplandece!

domingo, 25 de setembro de 2011

Dicas básicas sobre germinação de sementes


Excelentes dicas da Conceição Trucom (química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural, o bem-estar e a qualidade de vida) sobre germinação de sementes!

Em princípio, TODAS as sementes que estão cruas e com suas cascas (ou peles) preservadas, podem germinar. Mesmo assim, a semente pode não germinar caso:

1) estejam velhas porque foram mal embaladas, armazenadas ou validade vencida. Neste caso antes de germinar entram em decomposição;

2) são sementes que sofreram irradiação (para aumentar o tempo e segurança de estocagem), portanto estão mortas;

3) foram deixadas por tempo demais dentro da água, neste caso irão fermentar;

4) ficaram pouco tempo dentro da água (menos que 4 horas).

Estando bem conservadas e cruas, vivas, todas as sementes germinam, porém nem todas apresentam raiz primária (narizinho) como é o normal. As castanhas e o arroz (todos), por exemplo, não apresentam esta característica.
Uma regra básica que funciona para quase todas as sementes é:

1) todas as sementes com casca no seu estado natural germinam.

2) sementes que não estão com sua casca ou pele poderão germinar parcialmente, dependendo da agressão do processo usado. Aveia em grão sem casca (nacional) germina 30% por exemplo.

3) as sementes que perderam sua pele por um processo mecânico como as nozes e o arroz, não irão germinar.

4) sementes que passaram por algum processo de aquecimento não irão germinar, somente acordar, como é o caso das castanhas de caju e do Pará.

Exemplos de sementes que geram broto:

Trigo, Lentilhas, Grão de bico, Amendoim, Milho, Milho de pipoca e Girassol com casca.

Exemplos de sementes que geram narizinho, mas que não se deve esperar aparecer pois ficam com gosto ruim: Linhaça, Alpiste e Painço.

Exemplos de sementes que não geram narizinho: Castanha-do-pará crua, Nozes, Amêndoa e Cevadinha sem casca.

Qual semente mesmo germinada não se deve consumir?

Feijão: ainda fica um residual de alcalóides que o tornam tóxico. É possível o consumo, mas não é recomendado fazer uso diário. Feijões mais recomendados para germinar e consumir ocasionalmente: azuki e moyashi.

Arroz integral sem casca (o polido e parbolizado não germinam): muito duro para ser consumido cru, porém pode-se fazer o leite.

Milho seco: muito duro para ser consumido cru, porém pode-se plantar e obter grama para o preparo de suco verde. Nota: Milho verde não precisa germinar. Muito saboroso para consumir cru, mas tem que estar bem tenro, quase branquinho.

Milho de pipoca: muito duro para ser consumido cru, use para fazer leite ou plantar gramas.

Estas são as sementes mais consumidas pela humanidade: geralmente, as sementes que mais contêm agrotóxicos e potencial de serem transgênicas, porque produzidas em grande escala.
O interessante da alimentação crua e viva é que você irá conhecer tantas outras sementes, muito mais nutritivas e não tanto exploradas que não irá sentir tanta falta delas.
Porém, ao consumir estas sementes cozidas, recomenda-se germiná-las antes para melhorar seu poder nutritivo e digestivo. O vitalizar fica meio de fora devido ao cozimento...
Cozimento mais rápido, portanto mais ecológico e econômico.

Alimento mais nutritivo, pois o processo de germinação potencializa alguns nutrientes.
Alimento mais seguro e digestivo, pois a germinação super reduz alguns antinutricionais como os fitatos, que são antioxidantes em baixa concentração, mas desmineralizantes nos cereais integrais crus.

Como posso germinar as sementes?
Para 80% das sementes, o simples processo de hidratá-las (acordá-las) já potencializa a nutrição, digestão e vitalização para usá-las como alimento.
Lavá-las em uma peneira.
Imergi-las por 8 horas em água filtrada.
Escorrer numa peneira.
Lavar, revolvendo as sementes por 5-10 segundos.
Voltar a imergir por mais 8 horas.
Lavar novamente e estará pronta para usar!

Fava de baunilha orgânica

Fiquei devendo essa informação para uma leitora: "Olá, Vera. Adorei o teu blog! Sou do RS, quando for a Porto Alegre vou procurar a fava de baunilha no Mercado Público. Mas em qual banca tu compras? Miriam" (enviado em 02/05/11).

Miriam, demorei pra responder... rs... mas espero que a informação ainda seja útil para ti ou para outros leitores do blog!

A banca do Mercado Público na qual compro a fava de baunilha orgânica é a Loja da Reforma Agrária; eles também comercializam o açúcar orgânico com baunilha e o extrato de baunilha orgânico. A banca pode ser acessada facilmente por uma das laterais externas do prédio, mais precisamente a direita, tomando como ponto de referência a entrada principal (em frente ao Chalé da Praça XV):


Estive lá há duas semanas e comprei uma fava, custou 9 reais.
Pode parecer caro, mas ela dura bastante tempo. Além de colocar um pedaço dentro do vidro do açúcar mascavo, uso-a em muitas receitas ou simplesmente para saborizar um leite vegetal, enquanto estou cozinhando-o ou apenas aquecendo.


A embalagem traz as seguintes indicações:

A nossa baunilha orgânica bourbon é cultivada de forma ecológica e sustentável sob a biodiversa Mata Atlântica Brasileira, desta forma conseguimos obter um excelente teor de vanilina, brindando você com excepcional aroma e fino sabor.

Como usar? Abrir a fava ao meio e picá-la. Para melhor aproveitamento pode ser adicionada a algum líquido ingrediente da sua receita e aquecê-lo para obter o aroma e sabor. (Ex: leite). Coe o líquido baunilhado para retirar as micro fibras da baunilha. Pode-se usar a fava por partes e devolvê-la ao tubo, guardando-o na geladeira, sem perder a sua capacidade de aromatização.


Molho branco alternativo

O molho branco tem como ingredientes principais o leite de vaca e a manteiga; dá para fazer um molho alternativo, com leite de castanhas, que fica delicioso e cumpre a mesma função do molho tradicional!


Ingredientes

meia xícara de castanhas (gosto de usar macadâmia para esse molho)
uma CS de fécula de mandioca
uma ccf de curry ou de noz moscada
sal marinho a gosto
uma CS de azeite de oliva
um copo de água potável

Como fazer

Deixe as castanhas de molho em água por 2 horas.
Coloque-as no liquidificador com um copo de água e triture-as bem, até virar um "leite".
Numa panelinha, ponha a fécula de mandioca e adicione um pouquinho do leite para desmanchá-la bem, sem deixar caroços.
Junte o restante do leite, os temperos e o azeite e comece a cozinhar, em fogo baixo, mexendo sempre.
Cozinhe até que o molho fique encorpado, mexendo com cuidado para que não encaroce.

Fiz uma lasanha com abóbora, molho de tomates com seitan em pedaços e brócolis e finalizei com o molho branco - ficou maravilhosa!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Batata-inglesa e solanina


Quando os europeus levaram a nicotina e a batata (solanum tuberosum) para seu continente, mal sabiam que através dessas plantas escondia-se uma forma de vingança dos povos indígenas (incas e maias) por terem sido subjugados e dizimados - ambas são nocivas ao organismo, tanto que o tabaco só era usado em práticas religiosas e a batata não era muito consumida pelos nativos sul-americanos - o vício de fumar mata milhares de pessoas ainda hoje e as batatas, cujo amido apodrece rapidamente no intestino, são as vilãs daquela salada que costuma fazer todos os convidados de festas e reuniões passarem mal; muitos pensam que os culpados são os ovos, mas, provavelmente, seja a solanina envenenando o organismo dos convivas.

A batata-inglesa (assim chamada porque foi apresentada primeiramente em Londres) nunca foi bem vista pelos macrobióticos:

A batata inglesa, o tomate, a berinjela e o pimentão são vegetais pertencentes à família das solanáceas, categoria que inclui plantas tóxicas como o tabaco e a beladona. Sabe-se que a solanina enfraquece o sangue, dilata o aparelho digestivo e provoca distúrbios no estômago e intestinos, levando inclusive ao surgimento de hemorróidas. Além disso, a batata contém ainda altos índices de potássio, o que compromete seu uso como alimento regular.

Por serem muito expansivas (yin), as solanáceas, quando consumidas por aqueles que ainda fazem uso de carnes (yang), podem trazer uma sensação momentânea de bem-estar. Com o tempo, porém, seus efeitos deletérios manifestar-se-ão inevitavelmente.

Fonte: Restaurante Metamorfose

Quando as batatas apresentam uma cor esverdeada e estão brotando em certos pontos, não comam (expostas à luz, começam a brotar e a esverdear)!  Incrivelmente, a maioria dos estabelecimentos que comercializam alimentos, oferecem as batatas ao consumidor nessa forma, geralmente, por um preço baixo e convidativo.
Alguns apregoam que basta cozinhar bastante as batatas quando estão assim, para que se possa comê-las:

Apesar dos cruzamentos, ainda hoje a batata pode ser tóxica: quando permanecem expostos à luz, os tubérculos tornam-se verdes e produzem a solanina, um alcaloide tóxico que funcionam como mecanismo de defesa para a planta.

Segundo o autor, o envenenamento por solanina causa desordens gastrointestinais e neurológicas. Os sintomas incluem náusea, diarreia, vômito, dores de estômago, queimação da boca, arritmia do coração, dor de cabeça e vertigem, entre outros. Doses acima de 2mg a 5 mg por quilo corporal são fatais. Mas tudo isso é evitado apenas pelo cozimento da batata em alta temperatura (acima de 170º), que destrói a solanina.


Fonte: Venenosas: Plantas que matam também curam
Gil Felippe

Mas na maioria dos sites relacionados com segurança alimentar em que pesquisei, o texto era sempre o mesmo: "A Solanina é um alcalóide naturalmente presente na batata, cujo teor aumenta quando as batatas ficam expostas à luz e adquirem uma cor esverdeada. Este tóxico não é destruído pela cozedura e pode ser letal."

Aqui ela é considerada um dos 6 alimentos mais tóxicos que consumimos:

Recentes pesquisas mostram que a dose tóxica seria de 2 a 5 gramas de solanina por quilo corporal. A intoxicação pode causar alterações intestinas como diarréias, vômitos e dores abdominais. Alterações neurológicas também podem ocorrer como alucinações e dor de cabeça. Os sintomas só iniciam após 12 horas de sua ingestão. Pode causar a morte em casos elevados de consumo. Lembrando que a confirmação oficial para intoxicação seria no consumo das batatas ainda verdes, pois contém maior concentração de solanina.

Fonte: 6 alimentos tóxicos que consumimos

Observem que o feijão (a maioria das variedades) também faz parte desta lista, por isso deve ser muito cozido, deixado de molho por no mínimo 12 horas, desprezar a água do molho e da primeira fervura na panela e é uma das poucas sementes não recomendada para germinação (excetuam-se o moyashi e o azuki).

Não é necessário abandonar o consumo de batata-inglesa, mas procure substituí-la por inhame, cará, batata-doce, batata-baroa, aipim, mandioquinha...

sábado, 10 de setembro de 2011

Mudando a alimentação - é difícil largar velhos hábitos...

                                                                                  Getty Images

Quem gosta mesmo de comer carne, como os gaúchos que são viciados numa costela gorda, dificilmente vai largar esse hábito... vejo que, atualmente, a maioria dos vegetarianos e veganos são jovens ativistas. Tal luta é extremamente importante e necessária, mas percebo que ela não comove uma grande parcela das pessoas (pelo contrário, irritados, os onívoros agarram-se com mais força à picanha) e outras até pensam em tornar-se vegetarianas, mas não sabem por onde começar nem como conseguir substituir o consumo de proteína animal sem prejuízos para a saúde.

É para essa segunda parcela de pessoas, especialmente, que esse blog foi criado: para orientar aqueles que pensam ou já decidiram abraçar o vegetarianismo, seja como dieta, filosofia ou opção ética (para os animais não faz a menor diferença o que moveu essa decisão).

Muitos não podem recorrer a um nutricionista, adquirir livros ou revistas e mesmo que encontrem artigos na internet, são tantas informações que acabam por confundir a cabeça e não esclarecem. Por isso, muitos começam a alimentação vegetariana e desistem no meio do caminho, por sentirem-se sem energia ou por terem uma dieta repetitiva e sem sabor, fruto de ignorarem quantas receitas podem ser produzidas apenas com ingredientes do mundo vegetal. Além disso, por comodismo, escolhem alimentos industrializados, o que também não ajuda na manutenção da saúde.

Os links a seguir são do blog Fora do Manual, onde procurei criar um roteiro para o iniciante na alimentação saudável, com o processo transitório e a finalização ideal - creio que tal mudança deve ser feita progressivamente e com cautela, para que o organismo se adapte à nova dieta (alguns podem reagir violentamente a mudanças drásticas).
Outro link traz o planejamento de um cardápio vegetariano: muitas pessoas deixam de comer carne com facilidade, mas desistem de manter uma dieta vegetariana por um motivo aparentemente banal: não saber montar cardápios nutritivos e, ao mesmo, tempo saborosos.
Sentindo-se desvitalizados e também desmotivados, voltam aos velhos hábitos.
Logo, esse pequeno guia pretende auxiliar aos que já decidiram optar pelo vegetarianismo e estão encontrando dificuldades para escolher alimentos ou elaborar cardápios.
O terceiro link leva a um depoimento sobre mudanças, como elas aconteceram na minha vida e como podem acontecer na vida de qualquer um.

Mudando a Alimentação

Planejando um cardápio vegetariano

Mudanças

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Vegetarianismo e vida saudável

Folheando revistas antigas, encontrei essa definição estranha de vegetarianismo:


Vegetalianos (???????)

Os vegas e vegetalianos abstêm-se de todo e qualquer alimento industrializado, bem como cereais refinados,  açúcar branco, cristal, mascavo ou rapadura. E, em geral, preferem os alimentos em seu estado natural, ou seja, cru. Dão preferência aos vegetais de época e aos não-tratados com defensivos agrícolas. (?????????????????)

Os ovo-lacto-vegetarianos não fazem uso de fumo, álcool, tóxicos, açúcar branco, conservas, vinagres, temperos e condimentos fortes, bebidas e alimentos artificiais, mas consomem ovos, leite e derivados, peixe (em alguns casos), cereais, verduras, legumes, frutas, mel. alimentos estes que devem estar o mais próximo possível do estado natural. (????????????????)

O texto (contendo muitos equívocos)) procura passar a imagem de que aqueles que não consomem carnes têm uma dieta saudável, ou mesmo, um estilo de vida saudável, mas o que ocorre na realidade é exatamente o contrário - a alimentação e a saúde não são os focos principais de quem condena o consumo de animais, mas evitar o sofrimento deles.

Algum dia, os vegetarianos talvez percebam que podem combinar ambas as ações: proteger os animais e ter uma alimentação saudável e equilibrada...

Fonte: Guia Corpo a Corpo de Qualidade de Vida - Ed. Símbolo - 1987

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A gordura vegetal hidrogenada está camuflada!



A gordura vegetal hidrogenada, depois de muitos anos sendo consumida por nós, inocentemente, foi declarada vilã! Agora, podemos ler nos rótulos dos produtos as observações "sem gordura trans", "0% de gorduras trans" ou, simplesmente, "gordura vegetal".
Nessa última informação é que mora o perigo, já que não há precisão sobre o que é exatamente essa tal de gordura vegetal!
Ela pode ter sido substituída pela gordura interesterificada, que também causa problemas ao nosso organismo - leiam o texto e pesquisem nos links abaixo:

Gordura Interesterificada

Quase todos os produtos que antes usavam a gordura vegatal hidrogenada para dar consistência a produtos como sorvetes e biscoitos passaram a usar a gordura vegetal interesterificada em substuição aquela devido as explanações que foram feitas na mídia. Na verdade, o conhecimento e as pesquisas sobre os males das "gorduras trans" já eram bem mais antigos. Agora, com a explanação da mídia a indústria de alimentos simplesmente substituiu a hidrogenada pela interesterificada, que não é "trans" (podendo "tranquilizar" os ignorantes colocando "0% Trans" nos rótulos), mas causa tantos ou mais problemas!


Links informativos:

Stearic acid-rich interesterified fat and trans-rich fat raise the LDL/HDL ratio and plasma glucose relative to palm olein in humans

New Fat, Same Old Problem With An Added Twist? Replacement For Trans Fat Raises Blood Sugar In Humans

Fonte: Gordura Interesterificada

Em Português: Interesterificação: A indústria está substituindo as gorduras trans por gorduras interesterificadas. O que é isso? Será que agora nossa saúde não corre mais riscos?