A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Da horta para a mesa

Crianças consumindo "comida de verdade"  - e melhor, sem que nela entrem ingredientes de origem animal - é garantia de saúde!


Vejam o Arthur (7, quase 8) e a Yoná (4), filhos da minha amiga Rubia Wehr Baldez, e a maravilhosa chicória colhida da horta feita pela família. 

Eles moram em Gramado/RS (serra gaúcha), onde no inverno, geralmente, a neve aparece para a alegria dos moradores e dos turistas.

A Rubia conta: "O Arthur é vegetariano desde uns 3 anos de idade por escolha dele mesmo (eu já ia por estes caminhos mas ainda fazia coisas com carne e tentava enganá-lo pra comer - ele sentia o gosto e cuspia tudo fora). Daí um dia ele veio me perguntar de onde vinha a carne, expliquei que eram os bichos que morriam e que se tirava a carne para comer, daí ele encheu os olhinhos de lágrimas e me disse: a gente não pode comer carne, vão acabar os animais assim...já pensou se resolvem comer as nossas cachorras???
Então, também me conscientizei de vez e parei de comer carne e de preparar carne, não preparo mais.
A Yoná ainda não entende muito bem essa história de matar os bichos pra comer, e ela gosta de carne, daí quando alguém oferece ela come, mas gosta muito de frutas e saladas.
Acredito que quando ela for maiorzinha e entender melhor isso, também não vai querer comer carne, afinal ela ama muito os animais."

O grande diferencial é que a família come o que produz na sua horta e são muitas as opções:






Colheita do dia: tomate, quiabo, maxixe, pepino, repolho, couve e pimentões chapéu de bispo.








Outra colheita: pimentões, alface, cenouras, xuxus, tomates, pepinos e rúculas.












"Sempre tivemos um pedacinho de horta.Essa maiorzinha, agora, faz uns 4 anos mais ou menos. Ela estava em hibernação junto com o inverno, de um mês pra cá começamos a limpá-la, preparar a terra de novo e plantamos algumas coisa; outras nasceram por conta (devido a termos plantado em outros anos - como mostarda roxa e verde, camomila).









Que linda a horta, 
e o Arthur horticultor!

A Yoná curtiu os mini-pepinos. 

"A gente tenta variar o máximo possível, esse ano plantamos pipoca (ano passado plantamos 4 pés e colhemos um vidro daqueles grandes de conserva cheio de espigas), alface (de 3 tipos), couve rábano (roxa e verde), morangos, cenoura, repolho (de 3 tipos), couve manteiga, mais um outro tipo de couve, aspargos, temperos diversos, phisalys e sempre temos uma composteira bem grande para colocar os orgânicos dentro (estamos no 3º buraco já, desde que começamos com isso - faz uns 2 anos).
Ah, tem feijão de vagem e ervilhas plantadas também!"


"Ganhei as sementes destas pipocas quando fui na Expointer, na agricultura familiar. Engraçado é que eram brancas, mas quando fui colher, estavam pretas", diz a Rubia. 



Quis saber se eles eram vegetarianos ou veganos:
"Quando eu preparo a alimentação, normalmente é vegana, mas como nem sempre sou eu quem cozinho, às vezes minha sogra coloca ovos nas receitas, mas é só o que permito que ela use, pois eu e as crianças temos intolerância à lactose também.
Meu marido come carne, mas é bem de vez em quando, se está a fim ele mesmo compra só o pedaço que quer comer e prepara (às vezes vai pra rua fazer pra não deixar a casa com cheiro, porque ele sabe que hoje eu fico enjoada com cheiro de carnes).
Mas aceita super bem a nossa alimentação, mesmo porque a saúde dele também melhora sem carne nem laticínios. E os ovos, quando a gente usa, a maior parte das vezes pegamos de uma senhorinha que nos vende, que tem suas galinhas soltas e trata com milho."

 
Arroz em camadas com beterraba, espinafre e cenoura, um dos pratos que a Rubia serve para a família.

E quando as crianças querem guloseimas, também são veganas, como esses docinhos feitos com leite condensado de coco. Olha a cara do Arthur - ele tem jeito de ser bem danadinho... :)

4 comentários:

Rafael Simão disse...

Oi, Vera!

Vim aqui sair do meu complexo de cachinhos dourados para dizer o quão incrível é seu blog. Tenho o acompanhado há tempos (mas calado, desculpe) e ele tem me ajudando bastante. Descobri coisas que cria não serem possíveis. Foi uma grande e gradual mudança.

Muito obrigado pelo seu trabalho, e abraços!

Cristina disse...

Adorei o seu blog :)
Cristina

Vera Falcão disse...

Rafael, obrigada pela manifestação, espero continuar ajudando no processo de mudança, abraço!

Vera Falcão disse...

Cristina, grata e volte! :)