A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

terça-feira, 18 de março de 2014

Criança não gosta de legumes e frutas?

Esse, realmente, é um mito.
Se não gosta é porque os alimentos foram introduzidos de forma equivocada.
Também muitas mães querem que o filho coma alimentos saudáveis, mas ele não vê os adultos fazendo o mesmo.
Esse não é o caso da Ester (1) e do Pedro (2), filhos da Elisangela Alberta de Souza (Elis).
Leiam o que ela conta sobre a alimentação deles e depois deliciem-se com as imagens!

"A introdução alimentar dos dois foi bem tranquila, com muitas frutas e legumes. Aprendi a ver o alimento como sendo mais do que alimento. Entendi a importância de comer vegetais orgânicos e produtos não industrializados. E assim temos oferecido saúde, e não somente comida para nossos pequenos. Além do leite materno que tem sido em livre demanda para ambos".


Ester comendo morango

Ester experimentando outros vegetais

          Pedro com 7 meses e com dois anos - dá pra perceber que eles 
          alimentam-se pelo método BLW, onde a criança come sozinha.

"O método é bem simples, significa, basicamente, colocar o bebê à mesa junto com a família na hora das refeições e deixar que ele pegue, com suas próprias mãozinhas, pedaços de alimentos. Ele prova. Se gostar, come, se não gostar, não come. Os especialistas explicam que a partir dos seis meses a criança já está apta a comer pedaços (e não apenas papas) e não corre mais o risco de engasgar. O período coincide com o recomendado pela Organização Mundial da Saúde para o início da introdução alimentar, ao término do aleitamento materno exclusivo."
Nada de papinhas!

2 comentários:

Elis Almeida disse...

Que amor Vera! Obrigada, por nós dar a honra contando um pouco da nossa história.
No aniversário deles este ano encomendamos bolo sem adição de açúcar e adoçantes artificiais, gordura e corantes, além de eles poderem saborear, eu que venho me reeducando para melhorar o meu paladar viciado em açucar, simplesmente amei! Sabor e saúde pode existir num bolo de aniversário.

Vera Falcão disse...

Que ótima ideia, Elis, sempre educando o paladar deles, não deixando que viciem em sabores industrializados. Beijos pra ti e a família!