A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Focaccia

Como falei no post anterior, participei de algumas oficinas de alimentação saudável e sustentável na 3ª BIONAT Expo e hoje vou publicar uma das receitas que aprendi com o chef Raffa Leal, pessoa muito simpática, criativa e competente. Foram ótimas aulas e a degustação ofereceu pratos deliciosos, que comi de olhos cerrados, flutuando numa nuvenzinha cor-de-rosa! rsss

Vejam aqui na foto como estávamos concentrados nas palavras do mestre:


Quem frequenta o blog já sabe que gosto de modificar receitas, fazer adaptações de ingredientes para o vegetarianismo ou simplesmente pelo prazer de inventar.
Então, seguindo essa lógica, mudei algumas coisas da receita original da focaccia que aprendemos na oficina Sabor e Saúde.
Em primeiro lugar, não usei ovos na massa (na verdade, o chef disse que eram opcionais). Também não coloquei sal grosso na finalização porque procuro usar o mínimo de sal nas minhas receitas.
Adicionei farinha de trigo integral em 50%, isto é, metade branca e metade integral.

O grande diferencial dessa receita de pão é que o chef Raffa adicionou a gordura à massa na fase final, depois dela já ter fermentado. Geralmente, o óleo é colocado no início. Estava doida para experimentar essa novidade e verificar se funcionava comigo e, realmente, a massa fica muito fofa no interior e crocante por fora.
Outra grande dica: quando for dividir a massa para colocar nas formas, não rasgar com as mãos, mas cortar com uma faca. Segundo o chef Raffa, todo o trabalho que temos para sovar e fazer a massa crescer é perdido quando rasgamos e/ou esticamos a massa. Esse procedimento também deve ser seguido quando a colocamos na forma, ela deve ser "achatada" com as mãos e não "rasgada, esticada" com elas.

Dito isso, vamos aos ingredientes e ao passo-a-passo!

Ingredientes


1 quilo de farinha de trigo (usei 50% branca, 50% integral)
20 g de sal marinho (uma colher de sopa)
60 g de fermento biológico fresco
10 ml de azeite extra virgem
muuuuuito azeite extravirgem para colocar sobre a massa na finalização (o mesmo que "regar generosamente")
300 ml de água morna (na temperatura ambiente)
Ingredientes para a cobertura: escolha entre tomates/cebola/manjericão/alecrim/manjerona/tomilho/sal grosso
Como a massa dá para fazer duas focaccias tamanho grande, usei tomates e cebola em ambas, mas as diferenciei pelas ervas: uma com manjerona e outra com alecrim.

Como fazer

Peneirar as farinhas, fazer uma cova no meio e nela colocar o fermento em pedaços. Adicionar 100 ml da água morna, misturar com um pouco da farinha em volta e cobrir com um pouco dessa farinha (Raffa descreveu essa etapa como "fazer um cobertorzinho para aquecer o fermento"). Deixar levedar por 15 minutos em lugar aquecido.



Dissolver o sal no restante da água morna e ir colocando o líquido aos poucos na cova, misturando no sentido circular para incorporar toda a farinha das laterais, até formar uma massa lisa que possa ser manipulada com as mãos. Acrescentar mais água, se necessário. Sovar bem até que a massa fique coesa e não esquecer: sem rasgar nem esticar!
Deixar levedar por 30 minutos em lugar aquecido.



Abrir a massa e então colocar os 10 ml de extra virgem, voltando a sovar até que ela incorpore o azeite. Dividir a massa em duas porções (ou porções menores, se desejar, mas não esquecer de usar a faca) e estendê-las com as mãos sobre uma assadeira untada com óleo. Colocar a cobertura escolhida e deixar dobrar de volume.

Colocar a massa em forno pré-aquecido de 180 a 200º C (médio) e assar por 30 minutos, até que fique dourada e crocante na superfície e fofa no interior.
E foi, realmente, como ficou a minha focaccia: mamma mia, que delícia!



domingo, 26 de setembro de 2010

Novidades à vista!


Passei o fim-de-semana participando da 3ª edição da BIONAT Expo: "Ideias são sementes. Plante a sua."
"A BIONAT é um evento anual dedicado à cadeia produtiva da sustentabilidade ambiental; reúne num mesmo local e data a Feira de Produtos Orgânicos, Fitoterápicos e Plantas Bioativas, a Mostra de Turismo Agtoecológico e Rural e o Espaço de Sustentabilidade Ambiental" - diz o folheto de divulgação.
Frequentei, especialmente, o Espaço BioNat Gourmet, com várias oficinas de alimentação saudável e feita com consciência, isto é, "aproveitamento completo do alimento, ressaltando sabores e aromas".
Então, preparem-se: estou cheia de novidades!
Durante a semana, irei publicando aos poucos...
Aqui vou colocar as informações mais direcionadas à alimentação e no Fora do Manual, as sobre formas alternativas de cuidar de si e do planeta.

Abraços eco-afetuosos!

sábado, 18 de setembro de 2010

À mesa, com carinho

Pois é, não consegui votos suficientes para entrar na disputa final pela publicação do livro, mas quando fiquei sabendo que uma pessoa poderia votar dezenas de vezes em um mesmo blog, fiquei desapontada, pois tal forma de escolha não me parece válida!
Enfim... e quando vejo a maneira com que certas pessoas solicitam votos nesse tipo de competição, quase rastejando ou inventando histórias tristes ou fantásticas, resolvi desistir de entrar em tais concursos. Vou publicar através de outros canais, tenho certeza!
Como já estava inscrita no TOP BLOG 2010, continuo participando, pelo menos a votação nesse concurso só pode ser feita uma vez por cada e-mail, então a escolha fica bem mais honesta, não acham? Se gostarem do conteúdo do blog, é uma gentileza clicar aqui ao lado, no selo colocado bem no alto da parte esquerda da página e votar nele, obrigada!


Deixando os acontecimentos negativos de lado, quero registrar a passagem de um amigo paulista aqui pela cidade, quando aproveitei para convidá-lo a experimentar minha paella vegetariana e também um estrogonofe de seitan, do qual segue a receita logo mais abaixo.
Foi uma semana bem legal, onde servi de guia turístico ao darling André, procurando agradar tanto quanto gostaria de ser agradada num lugar estranho. Acho que todo viajante espera ser bem recebido ou, pelo menos, levado a conhecer lugares agradáveis e/ou interessantes.
Nosso jantar de despedida foi ontem e ficamos conversando até as 3 horas da manhã... até a volta, então, my friend!


Estrogonofe de seitan

Ingredientes

250 gramas de seitan fatiado em pedaços pequenos e finos
1 cebola média
5 inhames grandes
200 g de cogumelos fatiados
50 g de azeitonas verdes picadas
200 g de ervilhas
um potinho de iogurte desnatado batido, se for lactoveg ; para veganos, 200 ml de leite de coco
uma xícara e meia de molho de tomates
temperos: noz moscada, cúrcuma, gengibre em pó
shoyu, sal marinho e azeite de oliva

Como fazer

Ponha água em uma panela grande e cozinhe, com a casca, o inhame. Reserve.

Refogue em uma CS de azeite de oliva a cebola média bem picadinha, acrescentando o seitan. Use os temperos da lista e também o sal, se necessário.
Junte o molho de tomates e deixe cozinhando, até o seitan ficar dourado e bem temperado.

Pique o inhame e junte ao seitan. Acrescente dois litros de água e ponha para ferver. Deixe cozinhando uns 20 minutos, em fogo baixo. Acrescente os cogumelos, azeitonas e as ervilhas.

Corrija o tempero e espere mais 10 minutos de cozimento. Bata o iogurte, deixando-o bem cremoso e junte ao estrogonofe, já retirado do fogo. Usar o leite de coco, se não quiser o iogurte; deve ser colocado da mesma forma.

Sirva quente, com arroz, uma salada verde, batatinha palha...

Meus convidados, Ísis e Decco